Entenda o caso da proibição do Foie Gras pela prefeitura São Paulo

São Paulo é a maior cidade do país e movimenta grandes quantidades de dinheiro com o turismo e o setor de gastronomia.

Recentemente ela foi alvo de uma iniciativa curiosa: a tentativa de proibir a comercialização do foie gras por parte da prefeitura. O prefeito Fernando Haddad, filiado ao Partido dos Trabalhadores, chegou a assinar uma lei no mês passado que foi suspensa pelo juiz Sergio Rui na última quarta-feira.

O foie gras (fígado gordo em francês) é uma iguaria da alta gastronomia francesa elaborada a partir do fígado de um pato ou ganso que passa por um processo de super alimentação. Normalmente servido em restaurantes sofisticados, o quilo de Foie Gras de Canard custa aproximadamente 400 reais. O prato é constantemente alvo de polêmicas e críticas por parte de ativistas dos direitos dos animais que afirmam existir crueldades com os patos.

A tentativa de proibição levou os proprietários do restaurantes a expressarem sérias objecções e a APC – Associação dos Profissionais de Cozinha do Brasil afirmou ser o foie gras um patrimônio da gastronomia mundial. A tentativa de governantes de interferirem nas liberdades individuais ao decidirem o que deve ou não ser consumido pela população também foi um argumento muito utilizado por inúmeros setores da sociedade que também se posicionaram contra a iniciativa de Haddad.

Segundo o Juiz Sergio Rui, a suspensão da lei tem um caráter provisório pois o caso requer maior atenção sobre o impacto que poderá causar no turismo e mercado gastronômico da cidade de São Paulo.

Imagem de divulgação.

Imagem de divulgação.