Urban Arts e ArtBio transformam DNA em obra de arte

DNA-Art_sala-4 (Cópia)
Projeto DNA Art possibilita criar obras a partir do código genético, convertendo ciência em arte original, autêntica e absolutamente personalizada. Novidade estará disponível em setembro na flagship em São Paulo

Transformar sua sequência genética (DNA – sigla do ácido desoxirribonucleico) em uma tela e pendurá-la na parede pode até remeter a uma cena de filme de ficção científica, mas não é. A proposta é bem real e poderá ser realizada a partir de setembro, na flagship da Urban Arts, na Alameda Gabriel Monteiro da Silva, em São Paulo.

Unindo genética e design, o DNA Art oferece uma oportunidade única de conhecer, ter e/ou presentear com obras de arte exclusivas, proporcionando assim uma experiência reveladora e inigualável com profundo significado pessoal: ter seu DNA transformado em uma peça de arte.

“Numa época em que a tecnologia, por mais que seja necessária, acaba afastando as pessoas, tudo o que pudermos fazer para humanizar as relações ou as “coisas”, será muito bem vinda”, explica André Diniz, criador da Urban Arts.

O procedimento é bastante simples e pode ser realizado em pouco tempo. Basta adquirir o kit DNA Art/Urban Arts, fazer a coleta do seu DNA e enviar para a ArtBio. Depois, é só selecionar uma das 12 opções de cores exclusivas que permitem expressar a sua personalidade e harmonizar com a sua decoração, e pronto.

O laboratório fica responsável pelo processo de extração do seu DNA, a Urban Arts pelo processo criativo e em poucas semanas você receberá o quadro. As amostras de DNA são processadas sob rigorosas normas de privacidade e segurança. E cada amostra é descartada no laboratório imediatamente após a imagem digital ser capturada com sucesso. Para cada obra é emitido um certificado de autenticidade assinado por um biólogo vinculado ao projeto. Este documento certifica a legitimidade e autenticidade da obra de arte criada a partir da aplicação da técnica de reação em cadeia da polimerase (PCR).

“Ciência e tecnologia definem o futuro de um povo e, hoje, são consideradas mais excludentes que o capital. No Brasil, assim como em países com marcas fortes de desigualdade social, a divulgação científica tem um importante papel de inclusão. Através da parceria DNA Art/ArtBio – Urban Arts, esperamos viabilizar ações culturais e educativas que promovam debates relevantes e contribuam para a democratização da ciência no Brasil”, pondera Paula Carneiro, coordenadora da ArtBio.

Você pode ter o seu DNA exposto na parede, presentear quem tanto ama com um kit e quem sabe incentivar outras pessoas a terem também – as obras de DNA são verdadeiras declarações de amor e ideais para noivos, casais, irmãos, familiares e amigos.

A Urban Arts oferecerá as obras em diversos tamanhos e acabamentos e custarão a partir de R$ 2.699,00. Inicialmente, os kits estarão disponíveis na flagship da marca, na Alameda Gabriel Monteiro da Silva, em São Paulo, mas a ideia é expandir para as outras 14 unidades espalhadas pelo Brasil.

Galeria de imagem: http://galeria.rlcpress.com.br/main.php?g2_itemId=38459
Sobre a Urban Arts:
Desde maio de 2009 em operação, a Urban Arts é uma galeria de arte diferente, que oferece um gigantesco acervo de opções incríveis de quadros, prints, posters e objetos de design, criados por artistas talentosos e independentes de todo o mundo. Após 2 anos de existência online, teve sua primeira loja física inaugurada em junho de 2011 na rua Oscar Freire, em São Paulo, e hoje conta com 15 galerias franqueadas espalhadas por todo o país. Se você está procurando artes descoladas para decorar as paredes de sua casa ou escritório, almofadas originais e coloridas, cases de iPhone irados ou outros produtos que tragam mais arte para sua vida, a Urban Arts traz uma alternativa que atenda sua individualidade, com produtos inovadores e de alta qualidade. Vamos espalhar arte!
Sobre a ArtBio:
Somos uma equipe de cientistas, educadores e artistas. Aplicamos parte dos recursos do projeto DNA Art em ações de divulgação científica. Acreditamos que a divulgação científica pode contribuir para a reintegração da ciência à cultura, exercendo um papel importante de inclusão ao ampliar o acesso ao conhecimento e revertendo seus benefícios em melhor qualidade de vida para a sociedade.